O IMPACTO AMBIENTAL DO PLÁSTICO É NOSSA RESPONSABILIDADE! | GS one | Roupas Ecológicas

O IMPACTO AMBIENTAL DO PLÁSTICO É NOSSA RESPONSABILIDADE!

02/07/2019


Litter on Singapore's ECP" by Vaidehi Shah is licensed under CC BY 2.0              

                 O primeiro plástico sintético foi criado na segunda metade do século XIX. Desde sua descoberta, a produção e popularização do plástico foi escalonando durante os séculos seguintes. Ele é um material de grande utilidade para o homem e foi crucial para nosso desenvolvimento. Barato e fácil de moldar o plástico acabou se tornando um material extremamente comum em tudo que envolve nosso cotidiano. Sua praticidade contribuiu para que diversos produtos pudessem ser desenvolvidos, mas nós não pensamos a longo prazo.

                Se em 1950 produzíamos 1,5 milhão de toneladas de plástico em 2010 essa produção chegou a 265 milhões de toneladas! Além de ser fabricado através de uma matéria prima derivada do petróleo, que é um bem não renovável, o plástico não é biodegradável e seu processo de decomposição é extremamente lento, tornando a natureza o destino comum pra todo o plástico excedente que produzimos. Segundo o WWF, ao menos 10 milhões de toneladas de plástico são lançadas no mar todos os anos. Levando em conta que a produção de plástico tem aumentado com o passar dos anos e que nós não criamos consciência ambiental do impacto que o plástico causa ao meio ambiente, sem darmos a ele um tratamento adequado, as consequências da poluição causada pelo plástico na natureza são iminentes.

                O impacto da poluição do plástico é visível e traduzido em diversos estudos científicos. Por ser um material relativamente novo, o plástico ainda não possui uma forma efetiva de decomposição através de microrganismos. Isso acaba tornando o processo de decomposição do plástico lento, ocorrendo apenas através de fatores ambientais, tais como como a luz solar, calor, umidade e oxidação química. Isso vai mudando o plástico fisicamente e quimicamente e liberando gases como o metano e etileno na atmosfera, segundo aponta um estudo publicado pela Plos One, isso pode prejudicar a saúde humana além de agravar o efeito estufa. Os problemas aumentam ainda mais quando o plástico se degrada lentamente, se tonando partículas cada vez menores. Há o plástico visível, que podemos observar a olho nu e também nano e micropartículas plásticas que acabam interferindo drasticamente na manutenção e desenvolvimento do ecossistema presente nos oceanos e também de toda biodiversidade. A poluição causada pelo plástico afeta a qualidade do ar, do solo e da água que consumimos.

                Enquanto consumidores, temos o dever de nos responsabilizarmos pela quantidade de lixo plástico que geramos e entender o que o uso indiscriminado de plástico ocasionará a longo prazo. Entender como nós podemos impactar o mercado através da forma como consumimos é essencial para que haja uma mudança efetiva na forma como o plástico é visto e valorizado. E ainda, devemos pensar a respeito do tratamento que é dado ao plástico que consumimos, levando em conta que o plástico só pode ser reciclado se destinado corretamente para tal. E devemos tentar evitar ao máximo comprar produtos de plástico, mais precisamente de plástico virgem. Isso acabará agregando mais valor ao plástico reciclado, tornando-o cada vez mais comum e diminuindo o preconceito em relação a materiais reciclados.

                Quando criamos consciência ambiental, podemos efetivamente contribuir para gerar mudanças positivas no meio ambiente e nas relações de consumo. A longo prazo, isso mudará a forma como essa matéria prima é vista e produzida e com a redução do plástico na natureza, através da reciclagem e da maneira como nos responsabilizamos com o que consumimos a tendência é que tenhamos um futuro com menos plástico. Isso significa, menos poluição, mais preservação e saúde para nós e para a natureza.  

 

Fontes


https://www.wwf.org.br/participe/horadoplaneta/?70222/Brasil-e-o-4-pais-do-mundo-que-mais-gera-lixo-plastico

https://www.sciencehistory.org/the-history-and-future-of-plastics

https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0200574

Voltar